Minhas competências

Quando me apresento aos grupos, tenho por hábito dizer que tenho muitas competências, mas não sou especialista em nenhuma delas. Vejo isso como uma vantagem, pois permite-me interligar as diversas áreas e perceber as suas sinergias. Muitas das competências que tenho não têm a ver diretamente com a minha atividade profissional. As chamadas soft skills.

Tento fazer tudo com muito brio e maior qualidade possível. Considero-me uma pessoa muito responsável e de bom senso. Tenho boa capacidade de comunicação e facilmente dinamizo um grupo. Boa capacidade de organização e execução de tarefas.

Sempre fui muito autodidata. Internet ainda não existia. A única fonte de conhecimento era a Biblioteca Municipal. Morando numa quinta, 6 km me separavam do conhecimento. Isso não era obstáculo para mim. Na secção das tecnologias e ciências informáticas encontrava a minha inspiração. Tenra idade de 14 anos nos bombásticos anos 90.
Esse percurso foi-me despertando curiosidade pelo mundo da eletricidade, eletrónica, mecânica e informática.

Trabalhar cerca de 20 anos como técnico de informática no meu próprio negócio trouxe-me mais algumas competências. Gerir uma loja obriga-nos a ligar com fornecedores, clientes, obrigações, etc. Nestes anos fazia um pouco de tudo ligado com montagem, manutenção e reparação de equipamentos informáticos.

Aos 34 anos fui fazer a minha formação superior. Fiz o curso e isso fez-me crescer muito. Cresci mais como pessoa do que como técnico. Mais do que aprendi foi o tomar conhecimento do ainda tinha por aprender. E é essa a grande máxima que me continua a nortear: quanto mais conhecemos maior é a fronteira com o desconhecido.

Tenho competências informáticas no geral e especificamente em: montagem e manutenção de hardware; linguagens de programação; configuração e manutenção de redes; programação em microcontroladores; sistemas de gestão de bases de dados; entre outras;